Número total de visualizações de página

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Fim de ano

Entra o ano, sai o ano
Sem que nada melhore.
A esperança diminui
E só a solidão colhe.
Bate a meia noite aqui,
Acolá já bateu
E ainda há-de bater
Noutra terra qualquer
Para quem não morreu.

Helena

1 comentário:

  1. aí que cabecinha tão cansada!... tente conseguir descansar mesmo, só a queremos de volta ao _fio de prumo_ depois de refazer muito bem as suas baterias!
    beijinho com todo o carinho
    lb_z

    ResponderEliminar